Histórico - Missões e AMM

Região Missioneira

Foram os padres Jesuítas os primeiros desbravadores da extensa área territorial, que hoje abrange os municípios integrantes da Associação dos Municípios das Missões. Na época, a região era compreendida nos domínios espanhóis, da margem esquerda do rio Uruguai.

Em 1626, o padre Roque Gonzales fundava em solo gaúcho a primeira redução jesuítica, denominada “São Nicolau do Piratini”. No local, ainda se encontram algumas ruínas das edificações levantadas pela mão do índio. Este era o início de um grande trabalho, que foi continuado após sua morte.

Os padres Roque Gonzales e Afonso Rodrigues foram trucidados pelos índios, na localidade de Caaró, pertencente ao município de Caibaté. Os jesuítas, até 1634, fundaram dezoito Reduções, toda arrasadas pelos bandeirantes, entre 1636 e 1638.

Mais tarde, a partir de 1682, os mesmos religiosos fundaram os Sete Povos das Missões, dirigidos e governados pelos jesuítas até 1769, quando foram expulsos pelos espanhóis. A derrocada dos Sete Povos das Missões se deve a várias causas. Entre elas se destacam o litígio formado com a demarcação estabelecida no Tratado de Madrid, de 15 de janeiro de 1750; e a subsequente “Guerra Guaranítica” (1752/1756). Morrendo o índio Sepé Tiarajú, fogem os índios para o outro lado do rio Uruguai, donde retornaram no ano seguinte. E a expulsão dos jesuítas desencadeia a decadência definitiva das Reduções.

Os Sete Povos das Missões eram formados pelas seguintes reduções: São Nicolau do Piratini, São Francisco de Borja, São Luiz Gonzaga, São Miguel Arcanjo, São Lourenço Mártir, São João Batista e Santo Ângelo Custódio.

Hoje, neste mesmo espaço territorial, despontam fulgurantes os 26 Municípios que integram a Associação dos Municípios das Missões (AMM) – entidade que congrega e representa a defesa dos interesses comuns – totalmente voltada para o crescente desenvolvimento econômico e social, desta área sul rio-grandense, compreendida pelos seguintes municípios:

    • Bossoroca
    • Caibaté
    • Cerro Largo
    • Dezesseis de Novembro
    • Entre-Ijuís
    • Eugênio de Castro
    • Garruchos
    • Giruá
    • Guarani das Missões
    • Mato Queimado
    • Pirapó
    • Porto Xavier
    • Rolador
    • Roque Gonzales
    • Salvador das Missões
    • Santo Ângelo
    • Santo Antônio das Missões
    • São Borja
    • São Luiz Gonzaga
    • São Miguel das Missões
    • São Nicolau
    • São Paulo das Missões
    • São Pedro do Butiá
    • Sete de Setembro
    • Ubiretama
    • Vitória das Missões

 Economia

A economia da região está alicerçada, fundamentalmente, na exploração da agricultura e pecuária, apresentando marcante desenvolvimento face à expansão e mecanização das lavouras e fortalecimento das atividades industriais.

Com um solo fértil e clima apropriado, obtém-se nesta região duas colheitas por ano - trigo e soja - com excelentes índices de produtividade.

Paralelamente ao crescimento da agricultura, expandiu-se a indústria de máquinas e implementos agrícolas de alta qualidade.
As atividades pecuárias merecem também um destaque especial, com predominância para a criação de gado, destinado ao corte e reprodução.

O parque industrial da região, que experimentou notável crescimento a partir dos anos 70, é liderado por empresas dedicadas ao fornecimento de implementos agrícolas, contando também com a presença de industriais de mobiliários; metalúrgicas; editorial e gráfica; bebidas; vestuário; calçados e artefatos de tecidos; mecânica; couro; peles; química; material de transporte; produtos de plástico, entre outros.

O comércio diversificado e modernizado vem contribuindo também para o progresso da região, proporcionando aos moradores e aos visitantes, o contentamento quanto à aquisição de bens duráveis e de consumo. Também a ampla rede de bancos, oficiais e particulares, fazem parte nos municípios missioneiros.

Transporte

A BR-285, que parte de Vacaria e vai até São Borja, atinge direta e indiretamente todos os municípios missioneiros, especialmente as cidades de Santo Ângelo, Entre-Ijuís, Vitória das Missões, São Miguel das Missões, Caibaté, São Luiz Gonzaga, Santo Antônio das Missões e São Borja.

A rodovia estadual RS-168, que parte de Santiago, passa por Bossoroca e atravessa em São Luiz Gonzaga, a BR-285, em direção a Dezesseis de Novembro, Roque Gonzales, São Paulo das Missões e Campina das Missões.

A BR-392 interliga os municípios de Entre-Ijuís, Santo Ângelo, Guarani das Missões, Cerro Largo, Salvador das Missões, São Pedro do Butiá, Roque Gonzales e Porto Xavier, faltando o trecho de Santo Ângelo a Santa Maria para dar acesso ao Porto de Rio Grande.

A Ponte Internacional em Porto Xavier é uma velha aspiração, que com o advento do Mercosul cresce em importância. Na verdade, é apenas o rio Uruguai que separa a região missioneira da Argentina, um mercado consumidor em potencial a ser explorado. Entretanto, como a modernidade do comércio internacional jamais será atingido pelo transporte de barca, é preciso lutar para que este projeto da construção da ponte se torne realidade. Atualmente, o porto fluvial de Porto Xavier está devidamente habilitado para o comércio de exportação e importação, contando com serviços aduaneiros da Polícia Federal, da Inspetoria da Receita Federal, do Controle de Tráfego Internacional Fronteiriço (Contrif), além de uma barca metálica para a travessia do rio Uruguai.

A região missioneira tem convicção de que a posição favorável dos governos do Estado do Rio Grande do Sul e da Província de Missiones, aliado à luta de todos os municípios missioneiros, vão consolidar uma das rotas mais importantes do Mercosul. A construção da ponte internacional, que também dará acesso ao Sul do Paraguai e ao Estado do Paraná, em Foz do Iguaçu, além de interligar os Sítios Arqueológicos de três países: Brasil, Argentina e Paraguai. Os três países ficam próximos entre si, e foram todos fundados por padres jesuítas, constituindo hoje pontos de atração política.

Interligações e Acessos Asfálticos

Há bastante tempo vem sendo pauta de reivindicações das lideranças políticas regionais junto às autoridades competentes, as interligações e acessos asfálticos para atingir todos os municípios missioneiros, especialmente aqueles que constituem a Rota das Missões. Pauta de reivindicações Asfálticas:

  1. Construção da rodovia, ligando a cidade de Eugênio de Castro à BR-285 – 25 Km;
  2. Construção da rodovia asfáltica de Garruchos da BR-285, onde se situa a Conversora de Energia Elétrica, à BR-285 – 70 Km;
  3. Construção dos acessos asfálticos da BR-285 ao sítio arqueológico de São João Batista, no município de Entre Ijuís (8 Km), e ao de São Lourenço das Missões, no município de São Luiz Gonzaga (8Km);
  4. Construção do acesso asfáltico da sede de Pirapó à BR-392 – 10 Km;
  5. Construção do acesso asfáltico da BR-392 a Assunção do rio Ijuí (Santuário), no município de Roque Gonzales – 3 Km;
  6. Construção do acesso asfáltico de Ubiretama à BR-392 – 9Km;
  7. Interligação asfáltica das BR´s – 285 e 392, via São Luiz Gonzaga – Rolador – Cerro Largo – 40 Km;
  8. Interligação asfáltica entre a Linha São João – município de Cerro Largo e a cidade de Cândido Godói, entroncando com a rodovia que leva a Santa Rosa e o Norte do Estado e do País – 14 Km;
  9. Interligação asfáltica de Salvador das Missões (BR-392) a Campina das Missões – 16 km; levando até Cândido Godói (RS 307).

Associação dos Municípios e das Missões - AMM

A AMM foi fundada em Cerro Largo, no dia 28 de maio de 1967, nas dependências da CNEC. A iniciativa foi da Câmara Municipal, na época presidida pelo vereador Renê Schwengber, que conduziu os trabalhos na primeira assembléia geral da Associação.

       Municípios fundadores:

  • CERRO LARGO, representado por José Otto Theobald (prefeito municipal), Dr. Rodolfo Henrique Frantz (vice-prefeito), Laureano Alberto Schoffen e Emil Leo Klein (vereadores);
  • SÃO LUIZ GONZAGA – Porfírio José Peixoto, representante do poder Executivo Municipal; Hemetério José Vieira e Vicente Soares (vereadores);
  • BOSSOROCA – João Cândido Dutra (Interventor Federal);
  • SANTO ANTONIO DAS MISSÕES – Antônio Nascimento (Interventor Federal);
  • CAIBATÉ – Viru Kliemann (Interventor Federal);
  • SÃO NICOLAU Sady Portela (Interventor Federal);
  • ROQUE GONZALES – Arão de Souza Antunes (Interventor Federal);
  • GUARANI DAS MISSÕES - Paulo Aquino;

        Filiações posteriores:

  • PORTO XAVIER – Hugo Feier (Interventor Federal);
  • SÃO PAULO DAS MISSÕES – Pedro Alfredo Werle (Interventor Federal);
  • SANTO ÂNGELO – Siegfried Ritter (prefeito Municipal), em 28.04.68;
  • CATUÍPE – Aparício Piccinin (prefeito municipal), em 16.08.69 e desligado em 05.08.94 – Luiz Fiorin Menegon (prefeito municipal); *
  • GIRUÁ – Darcy Leopoldo Uhry (prefeito municipal), em data de 22 de julho de 1972;
  • DEZESSEIS DE NOVEMBRO – Leopoldo Aci Nunes da Silva (prefeito municipal), em 17.03.89;
  • PIRAPÓ – Floriano Anschau (Prefeito Municipal), em 17.03.89;
  • ENTRE-IJUIS – Dr. Braulio Mario A. Ribas (prefeito municipal), em 17.03.89;
  • EUGÊNIO DE CASTRO – Carlos P. Freitas (prefeito municipal), em 17.03.89;
  • SÃO MIGUEL DAS MISSÕES – Pedro Everling (prefeito municipal), em 17.03.89;
  • ITACURUBI – João Santiago Belmonte (prefeito municipal), em 28.09.90. Desligado em 23.05.97 por solicitação do prefeito Antônio Martins Trilha.
  • SALVADOR DAS MISSÕES – Benedito Otomar Haas (prefeito municipal), em 15.01.93.
  • SÃO PEDRO DO BUTIÁ – Ricardo Nedel (prefeito municipal), em 15.01.93;
  • VITORIA DAS MISSÕES – Pe. João Aloysio Konzen (prefeito municipal), em 15.01.93;
  • GARRUCHOS – Zigmundo José Ruzycki (prefeito municipal), em 11.02.93;
  • SETE DE SETEMBRO – Valter Nicoletti Baron (prefeito municipal), em 17.01.97;
  • UBIRETAMA – Luiz Carlos Kitzmann (prefeito municipal), em 17.01.97;
  • MATO QUEIMADO – Nelson Hentz (prefeito municipal), em 19.01.2001;
  • ROLADOR – João Antônio Kleinübing (prefeito municipal), em 19.01.20001.

Primeira diretoria da AMM

PRESIDENTE: José Otto Theobald, prefeito de Cerro Largo;
VICE-PRESIDENTE: Olinto Bressan, prefeito de São Luiz Gonzaga.
1º SECRETÁRIO: Laureano Alberto Schoffen, vereador de Cerro Largo;
2º SECRETÁRIO: João Cândido Dutra, Interventor em Bossoroca;
1º TESOUREIRO: Antônio Nascimento, Interventor em Santo Antônio das Missões;
2º TESOUREIRO: Porfírio Peixoto, vereador em São Luiz Gonzaga.

Conselho Fiscal:

  • Arão de Souza Antunes, Interventor de Roque Gonzales;
  • Hemetério José Vieira, vereador em São Luiz Gonzaga;
  • Emil Leo Klein, vereador em Cerro Largo.

Suplentes Conselho Fiscal:

  • Sady Portela, Interventor em São Nicolau;
  • Viru Kliemann, Interventor em Caibaté;
  • Paulo Aquino, Guarani das Missões.

*NB: O Interventor Federal exercia os poderes Executivo e Legislativo.

A secretaria executiva foi instituída em 1981 e o secretário executivo, Senhor Laureano Alberto Schoffen permanece no exercício do cargo até hoje.

Ex-presidentes da AMM

  Nome Cidade Período
1 José Otto Theobald Cerro Largo 28/05/67 a 23/02/69
2 João Loureiro São Luiz Gonzaga 23/02/69 a 23/01/71
3 Ricardo Leônidas Ribas Santo Ângelo 23/01/71 a 22/01/72
4 Walter Pryczynski Guarani das Missões 22/01/72 a 10/03/73
5 Siegfried Ritter Santo Ângelo 10/03/73 a 04/03/74
6 Alceu da Silva Braga São Luiz Gonzaga 04/03/74 a 22/05/75
7 Alcebíades de Oliveira Santo Ângelo 22/05/75 a 29/03/77
8 Doné de Oliveira Peixoto Caibaté 29/03/77 a 21/03/78
9 Carlos Wilson Schroeder Santo Ângelo 21/03/78 a 21/03/80
10 Adair Vicente de Brum Roque Gonzales 21/03/80 a 27/03/81
11 Roque Reinaldo Nedel Cerro Largo 27/03/81 a 19/03/82
12 Casemiro Warpechowski Guarani das Missões 19/03/82 a 01/03/83
13 Ovídio Kaiser Porto Xavier 01/03/83 a 01/03/84
14 Mauro Azeredo Santo Ângelo 01/03/84 a 27/03/85
15 Lauri Antonio Thomas Giruá 27/03/85 a 27/03/86
16 Antonio Gonsiorkiewicz Guarani das Missões 27/03/86 a 20/03/87
17 Julci Sant-Ana de Castro Caibaté 20/03/87 a 29/03/88
18 Hugo Inácio Knob São Paulo das Missões 29/03/88 a 19/03/89
19 Renê José Nedel Cerro Largo 17/03/89 a 19/03/90
20 Luiz Valdir Andres Santo Ângelo 19/03/90 a 05/04/91
21 Humberto V. Weschenfelder Giruá 05/04/91 a 27/03/92
22 Edgar Steinbrenner Porto Xavier 27/03/92 a 15/01/93
23 Adroaldo M. Loureiro  Santo Ângelo   15/01/93 a 18/03/94
24 Adair José Trott   Cerro Largo  18/03/94 a 17/03/95
25 Luiz Carlos Leal   Pirapó 17/03/95 a 29/03/96
26 Adair Vicente de Brum Roque Gonzales 29/03/96 a 17/01/97
27 Mario R. do Nascimento São Miguel Missões 17/01/97 a 20/03/98
28 Antonio Sarzi Sartori  Roque Gonzales    20/03/98 a 23/03/99
29 Ernani Spohr  Salvador das Missões 23/03/99 a 23/03/00
30 Renê Jose Nedel  Cerro Largo        23/03/00 a 18/01/01
31 Mario R. do Nascimento   São Miguel Missões 18/01/01 a 15/03/02
32 José Lima Gonçalves      Santo Ângelo 16/03/02 a 21/03/03
33 Ernani Spohr                 Salvador das Missões 22/03/03 a 12/03/04
34 José Fabrício Dutra Bossoroca 13/03/04 a 31/01/05
35 Adair José Trott Cerro Largo 01/02/05 a 04/03/06
36 Eduardo Debacco Loureiro Santo Ângelo 05/03/06 a 16/03/07
37 Pedro Raimundo Birk São Pedro do Butiá 17/03/07 a 28/03/08
38 Nelson Hentz Mato Queimado 29/03/08 a 23/01/09
39 Vilmar Kaiser Porto Xavier 24/01/09 a 19/03/10
40 Eduardo Debacco Loureiro Santo Ângelo 20/03/10 a 18/03/11
41 Orcelei Dalla Barba Mato Queimado 19/03/11 a 15/03/12
42 Enio Colleto Carvalho Vitória das Missões 16/03/12 a 01/02/13
43 René José Nedel Cerro Largo 02/02/13 a 21/03/14
44 Junaro Rambo Figueiredo São Luiz Gonzaga 22/03/14 a 20/03/15
45 Angelo Fabiam Duarte Thomas Giruá 20/03/15 a 23/03/16
46 Luis Valdir Andres Santo Ângelo 23/03/16 a 06/02/17
47 Brasil Antonio Sartori Entre Ijuís 06/02/2017 ~

Após pesquisar as Atas anteriores, desde o ano de 1967, encontramos o seguinte:

  •  A primeira ata foi feita por secretário "ad hoc" sr. Nadir Ten Caten, após esta, as reuniões foram secretariadas pelo sr. Laureano Schoffen.
  •  Em 1972, assumiu o sr. José Rodulfi (Guarani das Missões).
  •  Em 1973, o sr. Augusto Ivan do Nascimento e Silva.
  •  Em 1974, não foi possível a identificação.
  •  Em 1975, o secretário foi o sr. Celso Bernardi.
  •  Em 1979, Harry Streppel.
  •  Em 1980, foi o sr. Nelson Hoffmann (Escritor - Roque Gonzales).
  •  E a partir de 1981, o sr. Laureano voltou a secretariar a AMM, e permanece até hoje.