Mais de três mil pessoas dos municípios da AMM participaram do Grito de Alerta
23 de Fevereiro de 2017


Protesto é contra a PEC 287/2016, medida de reforma da previdência que afeta os diretos conquistados em 1988 pelos agricultores familiares

Integrantes dos 26 municípios que congregam a Associação dos Municípios das Missões (AMM) estiveram em Santa Rosa na quinta-feira (23), no 7º Grito de Alerta, organizado pela Federação dos Trabalhadores na Agricultura no Rio Grande do Sul (Fetag), juntamente com os sindicatos regionais. O protesto é contra a tramitação da Proposta de Emenda Constitucional 287/2016, a PEC da reforma da previdência que prevê mudanças na idade de aposentadoria e no tempo de contribuição do INSS, especialmente nas conseqüências das novas regras de aposentadoria rural, caso sejam aprovadas.

Cerca de 15 mil manifestantes da macrorregional Missões Fronteira Noroeste, que é composta pelas regionais sindicais Missões, Santa Rosa,Três Passos e Ijuí, somando mais de 70 sindicatos, se reuniram na praça da Independência, com faixas, bandeiras e cartazes. Depois, caminharam até o INSS e outros pontos de Santa Rosa. Segundo a Fetag, o objetivo é mostrar ao governo federal que os agricultores familiares não aceitarão uma reforma previdenciária, que tome os direitos conquistados em 1988, com a Constituição Federal.

Agricultores, prefeitos, vice-prefeitos, vereadores, imprensa e comunidade em geral, totalizaram três mil participantes da região das Missões. Para o vice-presidente da AMM e prefeito de Rolador, Paulo Peixoto, o movimento foi fundamental para chamar a atenção dos deputados federais, e evidencir que toda a macrorregião noroeste está unida e vai cobrar que eles votem contra a PEC 287.

“Na nossa região missioneira os municípios são essencialmente agrícolas. Os produtores começam a trabalhar desde muito jovens, com uma jornada de sol a sol, independente de horário, mesmo em feriados e finais de semana. A presença massiva da região das Missões evidenciou a mobilização dos gestores e da população”, destacou Peixoto, que representou o presidente da AMM, Brasil Antonio Sartori, que não pode comparecer por estar cumprindo agenda em Brasília.

Em adesão ao 7º Grito de Alerta, mais de 15 chefes do Executivo missioneiro e respectivas comitivas, se deslocaram até Santa Rosa. Além disso, teve prefeituras que fecharam as portas; funcionários que pararam as atividades por duas horas e protestaram do lado de fora; outras apenas com expediente interno, e aquelas que funcionaram normalmente. Prefeitos que estavam presentes fizeram suas considerações sobre a relevância do movimento.

Prefeito Amauri Pires da Silva (Caibaté)
“Não tem lógica tirar este direito que foi conquistado, com muita luta, pelos trabalhadores rurais. Ainda se fosse um grande salário, mas eles estão pedindo o mínimo dos mínimos.”

Prefeito Ademir Mico Gonzato (Dezesseis de Novembro)
“Com a unicão e força da classe produtora, sindicatos rurais, prefeitos e população, não vamos deixar esta injustiça acontecer. Vamos acionar os deputados para que votem contra esta PEC.”

Prefeito Martinho Berwanger (São Pedro do Butiá)
“Com o aval da Câmara de Vereadores, ACI, Sindicato dos Trabalhadores Rurais e outras entidades, formalizamos um documento da prefeitura para as forças políticas que apoiamos em nosso município, inclusive com a assinatura da diretoria da Fetag, solicitando que seja reavaliada a PEC 287.”

Prefeito Puranci Barcelos dos Santos (Santo Antônio das Missões)
“O expressivo número de produtores rurais, lideranças sindicais, prefeitos, vereadores, imprensa, comerciantes, especialmente da região das Missões, cerca de três mil pessoas, deixou bem claro que a preocupação e a luta  não é apenas de uma categoria, mas de toda a população."

Prefeito Márcio Politowski (Sete de Setembro)
“Temos que unir forças e pressionar as autoridades federais para que votem contra as medidas da PEC 287/2016. O 7º Grito de Alerta foi forte e, com certeza, ecoou até Brasília.”

No próximo dia 10 de março durante a Expodireto Cotrijal, em Não-Me-Toque, uma audiência pública seguirá com o debate levantado no protesto que ocorreu em Santa Rosa. Os 26 municípios da AMM deverão estar representados no evento. 
 

Fotos vinculadas

Por Karin Schmidt

Fonte: Assessoria de Imprensa

Mais notícias