ABERTURA DA COLHEITA DO MILHO EM SANTO ANGELO
25 de Janeiro de 2019
ABERTURA DA COLHEITA DO MILHO EM SANTO ANGELO
Foto:Fernando Gomes

Santo Ângelo foi a primeira cidade do interior do Estado a receber uma agenda oficial do governador Eduardo Leite desde que assumiu o Palácio Piratini, em primeiro de janeiro. Leite abriu oficialmente a colheita de milho no Rio Grande do Sul, nesta sexta-feira, 25, na propriedade rural da AJ Moreno Agrícola, no Distrito Sossego, interior do município. Em seu discurso, ele confirmou que voltará à Capital das Missões para participar da 19ª FENAMILHO Internacional. “Assumo o compromisso de estar presente na FENAMILHO para celebrar a grande safra de milho no Rio Grande do Sul”, afirmou. 
O governador e o secretário de Estado da Agricultura, Pecuária e Desenvolvimento Rural, Covatti Filho, foram recepcionados pelo prefeito Jacques Barbosa, vice-prefeito e presidente da 19ª FENAMILHO Internacional, Bruno Hesse, e pelo deputado estadual Eduardo Loureiro, no Aeroporto Regional Sepé Tiaraju e conduzidos até o local da cerimônia, onde a comitiva era aguardada por lideranças políticas da Região das Missões.
O agricultor Rafael Moreno, o governador do Estado, o prefeito, o presidente da Câmara de Vereadores de Santo Ângelo, Dionísio Faganello, o secretário de Estado da Agricultura e os deputados estaduais Eduardo Loureiro e Aloísio Classmann, a bordo da colheitadeira, colheram as primeiras espigas de milho da safra 2018/2019 da propriedade rural que estima retirar da lavoura em torno de 240 sacas por hectare em mais de cem hectares irrigados, números celebrados pelas autoridades. Conforme estimativa da Emater, a média por lavoura de Santo Ângelo deve chegar a cem sacas por hectare, nos 4,3 mil hectares semeados com o grão.
Segundo estimativas da Companhia Nacional de Abastecimento (Conab), o Rio Grande do Sul deve colher 5,63 milhões de toneladas de milho nesta safra, volume 16,7% maior do que o registrado no ciclo anterior. A produção gaúcha deve atingir 91,19 milhões de toneladas. 
REIVINDICAÇÕES
Falando em nome dos prefeitos missioneiros, Jacques solicitou que o governador Eduardo Leite somasse forças com os municípios das Missões, grandes produtores de grãos, para a melhoria na logística de transporte da produção, sugerindo novas alternativas para o escoamento da safra. O prefeito citou como exemplo a distância da região para o Porto de Rio Grande, em torno de 600 quilômetros, enquanto o Porto de Santa Ana, na Argentina, está localizado a cerca 200 quilômetros de Santo Ângelo. A construção da Ponte Internacional ligado Porto Xavier a San Javier foi citada pelo prefeito como a grande obra para o desenvolvimento do Noroeste Gaúcho. “Queremos, senhor governador, propor um trabalho conjunto Estado e Município para a valorização da produção gaúcha, como um grande impulso para a geração de emprego e renda”, concluiu Jacques.
O deputado estadual Eduardo Loureiro, disse em seu pronunciamento que o Estado não pode ser um complicador para o produtor rural, mas um facilitador na promoção de políticas públicas para o aumento da produção. “É preciso avançar com políticas agrícolas, gerando crescimento econômico, emprego e renda para os gaúchos”, concluiu. 
O presidente da 19ª FENAMILHO Internacional e vice-prefeito, Bruno Hesse, também se pronunciou na mesma linha, reivindicando ao governador a desburocratização ambiental para a irrigação de propriedades rurais com até dez hectares e linhas de crédito facilitadas para os empreendedores rurais. “A produção é insuficiente para abastecer o mercado gaúcho que consome anualmente seis milhões de toneladas, e é obrigado a importar de países vizinhos ou de outros estados, mais de um milhão de toneladas”, declarou.
GOVERNADOR
Em seu pronunciamento, Eduardo Leite, conclamou o povo gaúcho para um esforço em defesa do Estado, para a retomada da confiança e o otimismo no futuro. “O foco do governo é o enfrentamento da crise. Teremos que tomar medidas duras para alcançar o equilíbrio fiscal, com a redução do custo da máquina administrativa e a eficientização do governo. Coloco minha disposição e coragem para enfrentar temas espinhosos e reformar o Estado. O nosso Estado é forte, tem gente empreendedora, riqueza e força para o agronegócio. Precisamos neste momento de enfrentamento, do esforço coletivo da população do campo e da cidade para fazer o Rio Grande ser forte novamente”, disse o governador.
Leite também reafirmou o compromisso de fortalecer o Banrisul como banco público e ampliar a sua atuação na área rural. Ao concluir sua intervenção, o governador disse que estar em Santo Ângelo, abrindo uma safra de milho que merece ser celebrada, com aumento na área cultivada e da produtividade, é uma injeção de ânimo e de confiança no futuro do Rio Grande.
O governador recebeu das mãos do prefeito Jacques e da primeira-dama Juliana Barbosa, uma réplica da Cruz Missioneira, simbolizando o agradecimento pela sua visita e distinção a Santo Ângelo. 
REALIZAÇÃO
A abertura oficial da Colheita do Milho no Estado foi uma promoção do Governo Municipal, 19ª FENAMILHO Internacional, Associação Brasileira dos Produtores de Milho (ABRAMILHO), Associação dos Produtores de Milho do Rio Grande do Sul (APROMILHO), com o apoio da Agrícola AJ Moreno Emater/ASCAR, Corsan, Sindicato Rural de Santo Ângelo e Sindicato dos Trabalhadores Rurais.
Participaram da solenidade, Alysson Paolinelli, presidente da ABRAMILHO; Ricardo Meneghetti, presidente da APROMILHO; o deputado estadual eleito Capitão Macedo (PSL), o presidente da Associação dos Municípios das Missões (AMM), Paulo Peixoto, prefeito de Rolador, prefeitos, secretários municipais e vereadores da região noroeste, além das soberanas da 19ª FENAMILHO Internacional, Rainha Fabiane Koaski da Silva, e as princesas Daniele Lang e Thaís Lersch.

Por Tarso Weber

Fonte: Assessoria de Imprensa Prefeitura de Santo Ângelo

Mais notícias