Região das missões jesuíticas contará com ponte binacional
14 de Fevereiro de 2019
Região das missões jesuíticas contará com ponte binacional
Comitiva Região das Missões com Ministro do Turismo.

O projeto de uma ponte binacional sobre o rio Uruguai, na divisa do Brasil com a Argentina, foi tema de audiência nesta quinta-feira (14) entre o ministro do Turismo, Marcelo Álvaro Antônio e o secretário nacional de Estruturação do Turismo, Robson Napier, com o senador Luis Carlos Heinze (RS) e o deputado federal Ubiratan Sanderson (RS). Os parlamentares gaúchos estavam acompanhados de prefeitos e representantes da Associação de Municípios das Missões (AMM) e da Fundação dos Municípios das Missões (FUNMISSÕES). As duas instituições reúnem 26 cidades do Rio Grande do Sul que integram e região turística das missões jesuíticas.

A ponte ligando Porto Xavier (RS) e San Javier (Argentina) está orçada em R$ 140 milhões, incluindo um Centro de Fronteira em uma área de 20 mil metros quadrados, em Porto Xavier, explicou o secretário de turismo do município, Ovídio Kaiser. O prefeito de Rolador e presidente da AMM, Paulo Peixoto, disse que o projeto já conta com R$ 20 milhões de uma emenda da bancada federal gaúcha ao Orçamento Geral da União (OGU) deste ano. Já o prefeito de São Nicolau, Ricardo Klein, lembrou que a ponte, além de incrementar o turismo entre os dois países, vai ampliar os negócios bilaterais. Atualmente, a travessia de balsa transporta 12 mil cargas por ano entre os dois países.

A obra poderá contar ainda com parte dos recursos previstos pelo Programa Global de Crédito do Branco Interamericano de Desenvolvimento (BID), no valor de US$ 100 milhões, destinados ao Circuito Jesuítico da América latina. A defesa foi feita pelo ex-prefeito de São Miguel das Missões e atual presidente da Organização das Cidades Brasileiras Patrimônio Cultural, Mário Augusto Ribas do Nascimento. O Brasil deverá ficar com US$ 20 milhões do empréstimo para infraestrutura turística na região das missões jesuíticas. A integração do roteiro de turismo religioso abrange cinco países: Brasil, Argentina, Uruguai, Paraguai e Bolívia.

O ministro destacou a importância da integração entre parlamentares e lideranças municipais, somando forças para que o destino turístico das missões jesuíticas alcance visibilidade internacional, além da atração de turistas entre os países vizinhos. “Precisamos eliminar gargalos, como a falta dessa ponte de integração, para que o ambiente de negócios se torne atrativo aos investidores e o turismo ganhe força com mais infraestrutura e promoção destes destinos de maneira que a atividade possa responder aos investimentos públicos e privados com serviços e atrativos que gerem empregos e movimentem a economia local”.

 

 

Por Izabél Cristina Ribas

Fonte: Assessoria de Imprensa Ministério do Turismo

Mais notícias